"" A Poesia quando chega ...""

Minha foto
Vitória, Espirito Santo, Brazil
""Eu vivo em carne viva, por isso procuro tanto dar pele grossa a meus personagens. Só que não agüento e faço-os chorar à toa.(...) Ser cotidiano é um vício. O que é que eu sou? sou um pensamento. Tenho em mim o sopro? tenho? mas quem é esse que tem? quem é que fala por mim? tenho um corpo e um espírito? eu sou um eu? "É exatamente isto, você é um eu", responde-me o mundo terrivelmente. E fico horrorizado"". ("Um Sopro de Vida" , Clarisce Lispector)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Mente rascunho

Sinto um leve toque do tempo sobre meus olhos. 
Eu e minhas margens traspassadas.
Minha mente rascunho.
E este peso forte da sua ausência contida nesta poesia nada.
Neste verso amassado, sem glossário e sem tradução.

Fabrícia Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário